PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

estaladiço

Que produz um ruído seco ao ser trincado (ex.: torresmo estaladiço)....


palito | n. m. | n. m. pl.

Haste fina usada para limpar os dentes ou para levar à boca pequenos alimentos....


azevia | n. f.

Alimento frito feito com uma massa estaladiça com recheio doce de feijão, grão, batata-doce, gila ou amêndoa....


chapata | n. f.

Pão branco, feito geralmente de farinha de trigo ou de mistura, de formato comprido, largo e achatado, côdea estaladiça e miolo com pequenas cavidades....


raivinha | n. f. | n. f. pl.

Biscoito seco estaladiço, feito de manteiga, ovos, açúcar, farinha de trigo e canela, moldado de forma intrincada com padrões irregulares....


torresmo | n. m.

Parte estaladiça, consistente e membranosa que resta do toucinho frito....


macaron | n. m.

Pequeno bolo redondo e estaladiço, feito de pasta de amêndoas, clara de ovo e açúcar, com recheios diversificados....


crocante | adj. 2 g. | n. m.

Que produz um ruído seco ao ser trincado (ex.: cobertura crocante)....


gressino | n. m.

Palito de pão torrado e seco, de tamanho variável e consistência estaladiça (ex.: decorou cada aperitivo com um gressino e azeitonas)....


micondo | n. m.

Bolo doce, seco e estaladiço, de forma recurvada, coberto com calda de açúcar....


miconde | n. m.

Bolo doce, seco e estaladiço, de forma recurvada, coberto com calda de açúcar....


pururuca | n. f. | adj. 2 g. | adj. 2 g. n. 2 g.

Coco ainda tenro....


bomboca | n. f.

Doce, geralmente de forma cilíndrica, com base de bolacha, recheio esponjoso e fina cobertura estaladiça de chocolate....


pavlova | n. f.

Sobremesa feita à base de merengue, com um exterior seco e estaladiço e um interior cremoso....


baguete | n. f.

Pão de formato alongado e de crosta dourada e estaladiça....


raiva | n. f.

Biscoito seco estaladiço, feito de manteiga, ovos, açúcar, farinha de trigo e canela, moldado de forma intrincada com padrões irregulares....



Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber qual é a forma correta para a palavra: periimplantar, peri-implantar ou perimplantar?
Para a grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990, das obras de referência consultadas, apenas o Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa, de Rebelo Gonçalves (Coimbra: Atlântida - Livraria Editora, 1947), inclui o prefixo peri- entre os que “não serão, em caso algum, seguidos de hífen” (p. 252), dando como outros exemplos os elementos de formação ambi-, anfi-, apo-, bi-, cis-, des-, endo-, epi-, exo-, hemi-, hipo-, intro-, intus-, meta-, para-, re-, retro- e tele-; a formação de palavras com estes elementos compositivos obriga à supressão do h ou duplicação do r e do s, caso os vocábulos a que se apõem se iniciem por essas letras (ex.: periepatite, birrefringente, parassífilis).

No entanto, mesmo que não houvesse menção específica a este prefixo em obras de referência, seria sempre possível fazer uma analogia com outras palavras iniciadas pelo prefixo peri- e registadas em dicionários ou vocabulários de língua portuguesa (ex.: perianal, perioftalmia, perirrenal, perissístole, periurbano), o que indicaria que a forma correcta é periimplantar, uma vez que nenhuma dessas palavras é hifenizada, nem sequer quando o prefixo é aposto a um elemento começado por vogal (perianal), por s (perissístole) ou por r (perirrenal).

Relativamente ao uso dos prefixos, o Acordo Ortográfico de 1990 prevê regras mais gerais e contextuais do que os textos legais anteriores. Segundo a base XVI, 1º, alínea b), deve ser usado o hífen «nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar, supra-auricular; arqui-irmandade, auto-observação, eletro-ótica, micro-onda, semi-interno.» Assim sendo, aplica-se esta regra também ao elemento prefixal peri-, pelo que, segundo este texto legal, a palavra periimplantar deverá passar a ser grafada peri-implantar.

A forma perimplantar, apesar de mais rara (segundo pesquisas em corpora e em motores de busca da internet), também não pode ser considerada incorrecta, pois trata-se da elisão da vogal final do prefixo diante da vogal do elemento seguinte. A este respeito, Rebelo Gonçalves, no seu Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa (Coimbra: Atlântida, 1947, pp. 252-253), refere que se deve prever também "o caso de um prefixo não aparecer em forma plena, por terminar em vogal e esta se elidir ante uma vogal do elemento imediato: endartrite, etc".




Como deve ser escrito o nome da ferramenta usada para retirar polia de um eixo: sacapolia, saca-polia ou saca polia?
A grafia correcta, apesar de não se encontrar registada em nenhum dos dicionários por nós consultados, deverá ser saca-polia, por analogia com outras palavras formadas a partir de saca, forma do verbo sacar, que significa “extrair, tirar”: saca-bocado(s), saca-molas, saca-rolhas, etc. Esta grafia é também justificada pela tendência para hifenizar compostos do tipo verbo + substantivo, como abre-latas, bate-boca, cata-vento, guarda-chuva, porta-bandeira, etc.

Ver todas