PT
BR
Pesquisar
Definições



completas

A forma completaspode ser [feminino plural de completocompleto], [segunda pessoa singular do presente do indicativo de completarcompletar] ou [nome feminino plural].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
completascompletas
( com·ple·tas

com·ple·tas

)


nome feminino plural

[Religião católica] [Religião católica] Última parte das horas canónicas que os sacerdotes recitam depois da refeição do anoitecer. = COMPLETÓRIO

etimologiaOrigem etimológica:feminino plural de completo.
completocompleto
|é| |é|
( com·ple·to

com·ple·to

)


adjectivoadjetivo

1. A que não falta nada.

2. Que tem todas as qualidades exigidas. = PERFEITO

3. Que não admite mais, cheio.

4. Cabal; satisfeito.

5. Total; pleno.

6. [Informal] [Informal] Que não deixa muitas dúvidas (ex.: sinto-me um completo idiota). = CHAPADO, PERFEITO, REMATADO

7. [Geometria] [Geometria] Diz-se de ângulo que mede 360 graus. = GIRO


nome masculino

8. Estado do que se acha completo.

completarcompletar
( com·ple·tar

com·ple·tar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e pronominal

1. Acrescentar alguma coisa a algo para que fique completo; tornar ou tornar-se completo (ex.: os alunos têm de completar os espaços em branco; os lugares sentados completaram-se depressa; eles são tão diferentes que se completam).


verbo transitivo

2. Fazer a parte final; acrescentar o complemento (ex.: não conseguiu completar o discurso). = ACABAR, CONCLUIR, REMATAR, TERMINAR

3. Chegar a ter; atingir uma idade, uma quantidade ou um valor (ex.: completou 60 anos; acrescentou umas uvas para completar 2 quilos). = FAZER

etimologiaOrigem etimológica:completo + -ar.

Auxiliares de tradução

Traduzir "completas" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber o porque se usa tanto apartir de ou concerteza sendo que o correto é a partir de e com certeza ?
Este fenómeno acontece frequentemente com locuções muito usuais em que os utilizadores da língua têm dificuldades em identificar as fronteiras das palavras, o que tem como consequência erros ortográficos como apartir de (em vez de a partir de), concerteza (em vez de com certeza) ou derrepente (em vez de de repente).



Porque é que há uma insistência tão grande em dizer deslargar, destrocar, etc? Há alguma razão que eu desconheça? Na minha modesta opinião estas palavras são insultos à nossa bela língua portuguesa. Estarei certa?
O prefixo des-, para além de exprimir as noções de afastamento (ex.: desabafar, deslocar), negação ou privação (ex.: desacordar, desagradável), cessação (ex.: desimpedir, desacelerar) ou separação (ex.: descascar, desfolhar), é também utilizado na língua portuguesa como partícula de reforço. Assim, poderá encontrar em dicionários de português palavras como desabalar, destrocar ou desinquieto, registadas devido à sua frequência, apesar de serem geralmente aceitáveis apenas em contextos mais informais e na oralidade. O falante deverá sempre adequar a utilização destas palavras ao nível de língua apropriado.

Existem outros prefixos na língua com esta função de reforço. São os chamados prefixos protéticos, porque não acrescentam valores semânticos às palavras às quais se apõem (ex.: amostrar, assoprar).