PT
BR
Pesquisar
Definições



roda

A forma rodapode ser [segunda pessoa singular do imperativo de rodarrodar], [terceira pessoa singular do presente do indicativo de rodarrodar], [interjeição] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
rodaroda
|ó| |ó|
( ro·da

ro·da

)
Imagem

Nome genérico dado, em aparelhos ou máquinas, à parte circular que se move em volta de um eixo, e que, mais ou menos directamente, serve para imprimir movimento.


nome feminino

1. Nome genérico dado, em aparelhos ou máquinas, à parte circular que se move em volta de um eixo, e que, mais ou menos directamente, serve para imprimir movimento.Imagem

2. Talhada mais ou menos redonda de certos frutos.

3. Espécie de adarga redonda.

4. Tábua redonda que assenta sobre o pé do vinho e o cobre para o comprimir.

5. Enfeite de renda em toda a largura dos vestidos; cercadura de renda.

6. Amplidão de uma roupa talar.

7. Largura, circunferência, espaço redondo.

8. [Jogos] [Jogos] Acto de extrair a lotaria (ex.: hoje há roda).

9. [Jogos] [Jogos] Esfera que encerra os números que se hão-de extrair na lotaria.

10. Espaço, duração de um período de tempo.

11. [Ornitologia] [Ornitologia] Desdobramento da cauda de algumas aves.

12. Certo número de tanques por onde passam sucessivamente as peles para se curtirem.

13. Turno, vez.

14. Mancha circular no pêlo dos cavalos.

15. Conjunto de pessoas com que se convive mais frequentemente (ex.: roda de amigos).

16. Grupo de pessoas dispostas em círculo.

17. Quantidade considerável; grande número.

18. [Marinha] [Marinha] Pau grosso e curto em que termina a proa e a popa do navio.

19. Espécie de armário giratório usado para passar objectos do exterior para o interior e vice-versa, em conventos, asilos ou hospícios. = TORNO

20. Armário giratório que servia para introduzir crianças abandonadas em conventos, hospícios ou asilos.

21. [Por extensão] [Por extensão] Local, como convento, asilo ou hospício, que acolhe pessoas abandonadas, geralmente crianças (ex.: roda dos expostos).

22. [Popular] [Popular] Acusação; invectiva.

23. Instrumento de tortura.

24. [Desporto] [Esporte] Exercício de ginástica que consiste num deslocamento lateral e circular do corpo, passando as pernas afastadas por cima do tronco apoiado nos dois braços.

25. [Ictiologia] [Ictiologia] Nome vulgar do peixe-lua.


interjeição

26. Expressão usada para afastar ou mandar alguém embora. = FORA, RUA


andar à roda

Realizar-se o sorteio da lotaria.

à roda

Em círculo ou em movimentos circulares (ex.: tive uma tontura e vi tudo à roda). = À VOLTA

à roda de

No espaço que rodeia algo ou alguém. = À VOLTA DE

Muito perto de, muito próximo de (ex.: foram vendidos à roda de um milhão de exemplares). = APROXIMADAMENTE, À VOLTA DE

correr sobre rodas

[Informal] [Informal] Decorrer com sucesso ou de modo agradável (ex.: tudo parece correr sobre rodas).

de roda

Em círculo ou em movimentos circulares. = À VOLTA

roda de capoeira

Círculo formado por capoeiristas em que se toca e canta enquanto se pratica a capoeira (ex.: o programa do festival inclui ateliês de artes plásticas, espectáculos de dança e teatro, grupos folclóricos e roda de capoeira). [Em 2014, a UNESCO considerou a roda de capoeira património cultural e imaterial da humanidade.]

roda dentada

Estrutura circular dotada de recortes, que pode formar uma engrenagem com uma estrutura semelhante e imprimir movimento a eixos rotativos.Imagem

roda de proa

[Marinha] [Marinha]  Peça da proa, na extremidade da quilha.

roda de tímpano

Roda oca que se move por meio dos pés de alguém que vai trepando de pá em pá.

roda do leme

[Marinha] [Marinha]  Dispositivo circular, ligado ao leme da embarcação, destinado a controlar a direcção da embarcação.Imagem

etimologiaOrigem etimológica:latim rota, -ae.
Colectivo:Coletivo:Coletivo:rodagem.
rodar1rodar1
( ro·dar

ro·dar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Fazer andar à roda.

2. Rodear.

3. Percorrer.

4. Juntar com o rodo.

5. Aplicar o suplício da roda a.

6. [Brasil] [Brasil] Navegar na direcção da corrente.

7. [Brasil] [Brasil] [Informática] [Informática] Processar comandos de um programa ou operações de um algoritmo (ex.: rodar rotinas; rodar uma aplicação). [Equivalente no português de Portugal: correr.] = EXECUTAR


verbo intransitivo

8. Andar em roda de um eixo ou centro.

9. Mover-se sobre rodas.

10. Andar de carro.

11. Cair, rolando.

12. [Brasil] [Brasil] Chapar-se (o cavalo com o cavaleiro, indo a galope).

13. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Sair à força; sair estonteado.


nome masculino

14. Ruído de um carro ou de outro objecto que vai rodando; andamento.

etimologiaOrigem etimológica:latim rodo, -are.
rodar2rodar2
( ro·dar

ro·dar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e intransitivo

Juntar ou trabalhar com o rodo (ex.: rodar os cereais; na salina, o marnoto estava a rodar).

etimologiaOrigem etimológica:latim rodo, -are.

Auxiliares de tradução

Traduzir "roda" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Quanto a comparações de inigualdade, ou seja, de superioridade ou de inferioridade, existirá uma regra absoluta para decifrar se se usa que ou do que ou ambas estarão correctas em qualquer expressão dessa estrutura? Para um falante em que o Português não é a primeira língua, seria bastante útil. Incluo as seguintes expressões para vossa análise: 1) O castelo é mais antigo que a igreja. 2) Hoje as laranjas estão menos baratas que as maçãs. 3) Nós compramos mais livros que vendemos. 4) O Paulo é mais grande do que gordo. 5a) O João tem mais de um carro. b) O João tem mais dum carro. c) O João tem mais do que um carro. d) O João tem mais que um carro.
As frases de 1) a 5) apresentam diferentes construções de comparativos relativos de superioridade e de inferioridade.

Em português, é possível formar os graus comparativos de superioridade e de inferioridade dos adjectivos usando os advérbios mais e menos seguidos da locução do que (ex.: o castelo é mais antigo do que a igreja; a igreja é menos antiga do que o castelo), podendo haver omissão da contracção da preposição de com o pronome demonstrativo invariável o (ex.: o castelo é mais antigo que a igreja; a igreja é menos antiga que o castelo). Esta construção aplica-se às frases apontadas em 1), 2) e 4).

Na frase 3) está presente um comparativo de superioridade relativo a um substantivo (ex.: nós compramos mais livros [do] que vendemos), sendo nesse caso a palavra mais um determinante indefinido.

A frase de 4) é um exemplo de uso correcto da construção mais grande, que, como afirmam Celso Cunha e Lindley Cintra na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Lisboa, Edições João Sá da Costa, 14.ª ed., 1998, p. 262), só se considera correcta quando é usada para confrontar duas qualidades do mesmo elemento.

Relativamente às frases em 5), trata-se de uma comparação (de superioridade) de quantidade relativamente a um numeral (um). Neste tipo de comparação é possível uma construção análoga àquela usada para exprimir o grau comparativo do adjectivo, isto é, a estrutura mais (do) que seguida do numeral e de um substantivo, como nas frases 5c) e 5d). Alternativamente, é possível ainda utilizar as construções presentes em 5a) e 5b), que correspondem à locução comparativa mais de seguida de numeral e que diferem apenas na contracção (de + um = dum).

Para além destas quatro construções comparativas, é ainda possível estabelecer comparativos antes de verbos (ex.: consegue ver mais ao longe [do] que ao perto), de advérbios (ex.: põe esse quadro mais acima [do] que este) ou de preposições (ex.: o gato passa mais por aqui [do] que por ali).




Qual a forma correcta de dizer em português: biossensor ou biosensor?
A grafia correcta, apesar de não se encontrar registada em nenhum dos dicionários por nós consultados, deverá ser biossensor, por analogia com outras palavras formadas a partir do prefixo de origem grega bio-, que exprime a noção de “vida”: biossatélite, biossintético, biossistema, etc. Este comportamento é também análogo ao de alguns prefixos terminados em o, como sejam retro-, socio- e tecno-, que obrigam à duplicação do r e do s quando o elemento ao qual se apõem se inicia por uma dessas consoantes.